sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Meu sentimento de perda chega com delay

"Que sejam cebolas
pra me fazer chorar, já que sou uma pedra"


As pessoas morrem...

Acho que você já tem idade suficiente pra saber que, mais cedo ou mais tarde, todos nós vamos pra vala. A noção da morte traz consigo a certeza de que, uma hora ou outra, vamos perder pessoas que nos são queridas - seja ela seu pai, mãe, algum amigo ou simplesmente alguém que marcou sua vida de alguma forma. Quando chega a hora (esse livro é muito bom por sinal) c'est fini, sem choro nem vela.

Talvez a morte seja uma senhora bem da simpática no fim das contas =)

E o que você faz nessa hora? Senta e chora, ora essa! Senta, chora e vem receber as condolências dos seus amigos  e parentes que sobraram pra te consolar. Esse momento é importantíssimo, pois é aí que você percebe como a morte muda o paradigma de todos à sua volta, inclusive do morto - todo filho da puta de Deus quando morre é absolvido de suas filha da putagens seus pecados.

'Tá vendo o título da postagem? Então. Nós vamos chegar lá.

Conversando com um manin meu, estávamos falando sobre a morte e nossos pontos de vista a respeito disso tudo. Uma amiga dele perdeu um parente e ele foi lá falar algumas palavrinhas e foi aí que pensei "tadinha". Porque o jeito como ele encara a morte é um pouco insensível ais olhos da maioria das pessoas e isso poderia acabar em algumas palavras não muito apropriadas (e eu acertei).

E o pior é que o baixin 'tá certo ¬¬'

Poucas pessoas veem as coisas de um jeito tão direto assim e isso traz uma sensação meio estranha. Eu tenho que confessar que também não sou a melhor pessoa do mundo pra confortar alguém em momentos de perda (Otávio sabe muito bem do que estou falando) e as vezes prefiro ficar quieto no meu canto.

Foi com essa conversa (e algumas outras muitas linhas depois) que me lembrei de como sou "meio pedra".

Há um tempo meu avô morreu. Na verdade ele foi morto, mas isso não vem ao caso. A questão é que mesmo sendo um parente bem próximo (beleza, eu não conversava com ele já fazia um bom tempo, mas caralho, ele era meu avô '-') eu não derramei sequer uma mísera lágrima pela morte dele. Na verdade eu simplesmente recebi a noticia e continuei meu dia como se nada tivesse acontecido.
É sério... eu fiquei bem triste XD

Vai, pode me chamar de tudo quanto é pior coisa que você conseguir pensar. Eu mereço. Mas não é uma coisa que eu consiga controlar. Eu simplesmente não sinto nada quando recebo a notícia da morte de alguém... Mentira... Eu fico triste em algumas raras (e estranhas) ocasiões, mas no geral a morte passa bem despercebida por mim. Isso pelo menos de imediato...


A ficha demora, mas um dia cai e é essa a pior parte.

Um belo dia eu percebo que têm várias pessoas faltando na minha vida e aí o Tiago chora igual uma criança de 1 ano que caiu de cabeça do berço. Se não chora o Tiago fica numa deprê miserável por dias. E geralmente esse dia não é dia, mas sim noite e aí eu não tenho ninguém pra conversar e me consolar e blá blá blá.

Delays da vida... Eu já disse e repito: eu nasci bugado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário