domingo, 17 de maio de 2015

Tuas ideias não correspondem aos fatos

Sabe aqueles dias em que você não tem absolutamente nada pra fazer? Um típico domingo onde, entre um vídeo e outro no Youtube, um comentário e outro em fotos de amigos no Face, você resolve visitar o passado e percebe que esse "passado" é, inclusive, muito recente?

Ainda somos os mesmo? Definitivamente não.

É incrível como, em apenas alguns minutos revisitando posts antigos meus no Face, percebo o quanto eu mudei. A impressão que dá é que uma outra pessoa escreveu tudo aquilo, como se aquele Tiago nunca houvesse existido. Não consigo me reconhecer em praticamente nenhuma daquelas palavras. Se não fosse pelas fotos e pelo log in realizado no inicio da sessão eu teria absoluta certeza de que estava no perfil de outra pessoa.

Chega a ser tragicômico como eu mudei tanto em tão pouco tempo. De 2011, quando criei um perfil na rede social, até hoje foram apenas 4 anos, mas a diferença em todos os pontos de vista é gritante demais. Sei que sou muito novo pra isso, mas nesses momentos bate uma certa crise de existência. A estranheza e as indagações de "quem sou eu, afinal?" aparecem e colocam as engrenagens pra trabalhar e isso é meio preocupante já que eu me orgulhava tanto de ser daquele jeito.

Não sei se o antigo Tiago, caso se encontrasse com o Seph, ficaria orgulhoso ou teria vergonha do que se tornou. E sim, Seph, porque a impressão de que eu venho me transformando num personagem tem sido cada vez mais forte. Todas as minhas convicções foram convertidas em praticamente o oposto do que eu pregava e eu estranhamente não rejeito a ideia de que isso me fez muito mais bem do que mal. O Seph é uma espécie de Tyler em modus operandi que subverteu tudo que eu tomava como verdade absoluta e me fez ver como a vida é pincelada com muito mais tons de cinza do que eu imaginava.

Cair em contradição... quem nunca?

Faça a comparação você mesmo. Comecei esse blog mais ou menos nessa mesma época de 2011/2012. Pegue as minhas primeiras postagens e compare com o que venho falando nos últimos meses no Facebook. Melhor, faça uma avaliação no SEU próprio perfil... Volte nos primeiros anos e vá passando, postagem após postagem e perceba o quanto VOCÊ mudou. Não sei se vai ser tão visível quanto no meu caso (que foi como um trem desgovernado, principalmente por conta de 2014), mas com certeza no fim você vai dizer "caralho, quem era essa pessoa?".

Quem é você. 2012?

Me arrependo de tamanha mudança na forma como eu agia e pensava? Não! Como já dizia Raul: Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo. Tem pessoas que se afastaram? Sim. Mas isso não me afeta, até porque é da nossa natureza se assustar um pouco com o que é diferente... Um dia eles se acostumam... Ou não. I don't care.

O tempo não para.

Desacelera, mas não para.

Nenhum comentário:

Postar um comentário